ON ou OFF? | De que lado você está?



Fiz um post há algum tempo, falando sobre a nossa necessidade de estarmos sempre online e superestimando coisas triviais da internet. No post eu me comprometi a ficar menos tempo online e como vocês podem imaginar, não cumpri. Tentei, não nego. Mas o medo de perder uma notícia e ficar compeltamente alienada nesse mundo me deixou completamente em pânico. Aumentei o pacote de dados do meu celular, mas deixei de usar a internet nos finais de semana. Tento me equilibrar como um gordo que passa a semana inteira comedo alface, mas cai de boca na feijoada de domingo. (Só que ao contrário) Pensando  bem essa analogia também serve para a minha dieta, mas isso não vem ao caso.

Bom, está circulando um vídeo na internet chamado ON ou OFF? | De que lado você está?. O vídeo questiona hábitos contemporâneos e coloca em cheque nossos valores como cidadãoes e, acima de tudo, como humanos.

Estamos cultivando uma cultura onde o chegar primeiro virou mais importante do que chegarmos juntos...estamos compartilhando individualidade ao invés de solidariedadeSerá que essa é a evolução da humanidade?

Assisti esse vídeo há alguns dias e achei interessante. Ponto, até ai tudo bem. Hoje vi uma revolta contra o vídeo.  “Como assim?”, perguntei. O motivo era: o sucesso do mesmo na internet.  Curiosamente um vídeo pedindo para a as pessoas darem mais valor ao mundo real fez mais sucesso no virtual. Me parece que o resultado disso vai ser tão eficiente quanto colocar um alerta sobre obesidade em um fotto de bandeja do Mc Donalds.

Enfim, voltando à revolta dos internautas, as pessoas andam rebeldes demais na internet. O popular não é bom o suficiente pra quem vive no Twitter. Tudo terá um defeito. E se não tiver, eles inventarão algum.Vou além do vídeo e digo que não estamos em um mundo infividualista, estamos criando um mundo de amizades falsas e de inimigos. Onde vai valer mais a pena trocar farpas com uma pessoa que você não conhece só para aumentar o seu ego do que ignorar tudo e continuar vivendo a vida numa boa.

Ahh, o texto do vídeo é do: Deivison Pedroza

 

Compartilhe sua opinião