Os “quase bugs” de Albert Omoss


Explorar a fragilidade da forma humana, a complexidade estética de processos físicos e, até mesmo, as relações entre os organismos e as tecnologias avançadas são a cerne do trabalho de Omoss.

Não tem muito jeito. A gente usa o computador pra cinco coisas primordiais: ver sacanagem, gifs de gatinhos, polemizar no facebook, jogar e trabalhar. Na maior parte das vezes, nessa ordem, mesmo.


Mas tem gente que se destaca quando o assunto é trabalhar. No computador, então… Seja pra escrever textos maravilhosos como eu ou ser designer de coisas que fazem os outros (como eu, também) ficarem de queixo caído. Esse é o caso da celebridade do Instagram, Albert Omoss.

Omoss tem uma longa trajetória no mundo dos softwares, em entrevistas ele diz que começou a programar com 8 anos de idade. Hoje, como figura importante nas mídias sociais, principalmente no Insta, Albert publica suas criações em 4D por lá.


Nas suas obras, Albert Omoss diz gostar de explorar a fragilidade da forma humana, a complexidade estética de processos físicos e, até mesmo, as relações entre os organismos e as tecnologias avançadas.
Dá pra ter uma excelente visão do que é isso tudo em uma de suas criações mais famosas, a Verizon Door.

Parece bug em jogo de vídeo-game mas não é. Sério. É incrível.

Compartilhe sua opinião