Pyura chilensis: animal ou mineral?

A piura, uma aparente rocha encontrada no litoral chileno, e consumida como iguaria no mesmo país, assombrou muitos leitores da Scientific American no ano passado. Fora do ambiente científico, porém, pouca gente ouviu falar e por isso sua fama continua discreta na web. As imagens são de embrulhar o estômago. Quando seccionada, o seu interior molhado e de coloração avermelhada, sugere as entranhas de um mamífero. Seria aquela pedra então um ser vivo ou apenas um mineral de estranhíssima variação?

Pyura chilensis

Essa bizarra rocha, por incrível que pareça, é mesmo do reino animal. A piura, como conhecida no idioma espanhol, é uma ascídia, uma classe de cordados, que não se locomove, apenas no estágio larval e é hermafrodita quando adulto (lança seus ovos e esperma no ambiente ao seu redor, o fundo do mar). Porém o mais chocante para nós é mesmo a sua semelhança com a carne animal. Tanto, que sua visão pode ser mais angustiante que olhar para um corte de carne no mercado, a que estamos muito mais acostumados (os vegans me perdoem, pois estou com eles! Só como carne umas parcas vezes por ano e sou contra o consumo de leite).

Piure_Valaparaiso_0A P.chilensis foi primeiramente estudada por biólogos chilenos e documentada num artigo de 2005. Eles focaram-se na reprodução peculiar deste animal, isolando-os em tanques no laboratório da Pontifícia Universidad Católica de Chile. Os cientistas viram como o animal nasce macho e torna-se bissexual na fase adulta, fecundando a si mesmo, principalmente quando encontrado sozinho no mar (eles podem ser também vistos em em grandes grupos, cruzando uns com os outros, sem distinção de gênero e assim aumentando o sucesso da espécie).

Compartilhe sua opinião