Os Monstros que Gostam de Ifood


Ilustradora convidada: Anna Porci

Estava eu voltando pra casa depois de um longo dia de trabalho, quando entra no ônibus uma figura magra e decrépita. Com um pavor estranho, vejo ela se aproximar sorrateiramente. E, para meu pânico, aquele ser horroroso senta do meu lado. Apesar de ouvir música, eu prestava atenção em cada movimento sorrateiro que ele fazia para se aproximar. Pausei a música.

“O que você quer?” eu perguntei. Mas, para minha surpresa, a resposta me agradou bastante num primeiro momento. Ele queria um ar-condicionado, Netflix e ficar horas deitado na cama. Fiquei pasmo quando entendi que, ali do meu lado, em plena hora do rush, aquela figura era nada mais nada menos que o meu cansaço pós trabalho.

O convidei a dividir o fone e ele fez questão de recusar. Vi que não era de muitas palavras. Estranhei quando cheguei em casa e ele entrou sem pedir licença. Botou o iFood bem na minha frente. Falei que queria algo light. Pediu hambúrguer. Falei que queria ver Tom Ford. Botou Adam Sandler, e, por fim, ainda me fez ignorar as mensagens de amigos que me chamavam para sair.

O mais bizarro foi acordar no outro dia. Ele tinha ido embora sem nem deixar um bilhete. Sem deixar qualquer rastro. Foi quando eu senti algo roçar no meu pescoço. Não podia acreditar. Aquela noite estranha tinha gerado um fruto, que, apesar de pequenino e fofo à primeira vista, num segundo olhar era feio como a criatura que o gerou. Quando vi, o monstro que estava deitado comigo dessa vez era a preguiça de fazer tudo de novo. Será que ele gosta de iFood?

* * *

Ilustradora convidada:

Anna Porci

Estudante de animação, estagiária de tatuagem e apaixonada em contar histórias. Desenho desde que me conheço por gente e vivo pela arte, de qualquer tipo. Talvez viciada até demais em musicais da Broadway.

👉  Conheça o trabalho da Anna Porci no seu instagram.

Compartilhe sua opinião