Hereditário e a metáfora sobre o luto


O desamor recebido como herança

E saindo de uma doçura sem tamanho que foi o meu texto de As Vantagens de Ser Invisível, chegamos agora ao expoente no novo terror, o aclamado Hereditário, escrito e dirigido por Ari Aster.

Hereditário é o primeiro longa-metragem do novo nome do terror norte-americano: Ari Aster, um jovem diretor de 34 anos que vem chamando atenção. Tudo começou com seus pais: seu pai músico e sua mãe poetisa proporcionavam a ele uma relação com a arte desde cedo. Até que por volta dos dez anos de idade se viciou em filmes de terror e alugava todos os títulos possíveis na época das locadoras de vídeo. Seguiu sua vocação, estudou cinema e fez seu primeiro curta-metragem, em 2011.

The Strange Thing About the Johnsons é sobre uma relação incestuosa de pai e filho. A vontade de fazer o filme se originou da própria revolta que Aster tinha com o Instituto em que estudava, onde, segundo ele, preparava os alunos para seguirem um caminho clássico hollywoodiano. Ele, por sua vez, quis chocar e escolheu um tema extremamente polêmico. O curta foi premiado no importante festival de Sundance, conhecido por apresentar grandes talentos pro cinema e logo se tornou um sucesso na internet. Abaixo temos o link do Vimeo com o curta completo.

Entre 2011 e 2016, realizou 7 curtas-metragens, com destaque para o seu quarto em 2013, desta vez, mudo, sobre uma mãe superprotetora com seu filho, que sonha em ir para a faculdade e ela tenta o impedir. Munchausen foi outro grande êxito de crítica, que o consolidou no meio artístico americano. O título se originou da nomenclatura da síndrome onde a mãe protege tanto o filho que torna a relação tóxica e perigosa: Síndrome de Münchhausen. O curta está disponível abaixo:

A assinatura de Ari Aster chamou a atenção da produtora e distribuidora de filmes A24. A empresa, fundada em 2012 em Nova York, já presentou o público com grandes títulos, e a maioria deles com densidade de enredo e trama envolvente. A liberdade criativa que a empresa fornece aos seus profissionais somada às escolhas de histórias pouco convencionais têm gerado uma legião de fãs e tornou-se referência de qualidade. A parceria com Ari Aster consolida um gênero que a empresa têm apostado com retorno positivo: o terror. Abaixo separei alguns filmes realizados ou distribuídos com o selo da A24.

E para gerar esse terror todo na película, nada melhor do que uma grande atriz que está passando por um grande momento da sua carreira: Toni Collette. Seu desempenho neste filme é espetacular, onde transita por todas as camadas de uma filha que perde a mãe, mesmo que esta não tenha sido um exemplo de ternura em sua criação. A sua raiva com a vida, com a família e com questões do seu passado são muito bem representadas e vividas por Toni. Abaixo trouxe dois projetos em que se destacou nos últimos anos; são eles Entre Facas e Segredos e a minissérie Inacreditável, ambos de 2019.

Outro ponto técnico que neste filme fica evidente é a qualidade do plano geral. Para conseguir tal efeito e simular a impressão de casa de bonecas, onde tudo é miniatura, a direção optou por filmar estas partes em um sound stage, ou, traduzindo livremente, palco sonoro. É uma espécie de estúdio enorme, similar a um hangar, onde há muito espaço para construção de cenário e, consequentemente, recuo de câmera. Desta maneira, tudo tem uma dimensão maior em relação ao tamanho dos atores, relacionando com o estranho hábito da protagonista de representar sua vida e experiências em miniaturas de brinquedo.

Confira o trailer oficial do filme ou relembre, caso você já tenha assistindo:

Então é isso, galera! Vamos com tudo em cima desse filme, que ele tem muito assunto e muitas ramificações! Lembrando que ele está disponível nos streamings Amazon Prime Video e HBOGo

Grande abraço! Até a próxima!

Compartilhe sua opinião